Leia também:

SAÚDE - Falta de medicamento fila e portão fechado revoltam pacientes na unidade de saúde de Divino Espirito Santo em Vila Velha


A mentira na política é antiga, só ganhou novos meios de propagação. Impacto ainda é difícil de medir, mas uma coisa é certa: Justiça, redes sociais e imprensa ainda não sabem bem como lidar com fenômeno dessa proporção.

Por/ Wendell Lopes

Segundo moradora, quem procurou Unidade da Saúde teve de esperar do lado de fora até ás 8hs da manhã por falta de funcionários
Na manhã desta última segunda - feira (04), moradores próximos a Unidade Municipal de Saúde Doutor Geraldo Pires, no bairro Divino Espírito Santo, em Vila Velha relataram que tiveram de esperar atendimento médico fora da unidade em pé formando fila na manhã desta segunda-feira (04).




O site da Prefeitura de Vila Velha, relata que a Unidade Municipal de Saúde Doutor Geraldo Pires, no bairro Divino Espírito Santo, atenderia a população canela-verde de 7 às 19h, informando que a equipe de atendimento conta com cerca de 70 profissionais, como médicos, enfermeiros, cirurgiões dentistas, técnicos de Enfermagem, assistentes administrativos, farmacêuticos, dentre outros.
Maria Odete de Lima, de 31 anos, procurou a equipe do Jornal Grande Vila Velha para relatar sobre a falta de medicamento e de profissionais para atendê-la. Segundo ela, muitos pacientes aguardavam por atendimento do lado de fora.


Fui cedo entregar uma coleta de urina e chegando lá, a unidade estava fechada, por volta das 07h26, horário em que tirei a foto do portão da unidade. Quando consegui entrar, as atendentes disseram que o portão estava fechado por falta de funcionários para atender. A prefeitura fez campanha dizendo que as consultas e exames seriam marcadas apenas no novo sistema de agendamento online de marcação de consultas, para não ter mais filas nas unidades de saúde , uma velha mentira sem contar que Moradores de Vila Velha estão sofrendo com a falta de medicamentos em outras unidades públicas de saúde. Pacientes que precisam de remédios cedidos pelo município estão sem poder continuar o tratamento de doenças, inclusive crônicas, por conta da falta dos materiais. "Eu perguntei ao farmacêutico e ele falou que não tinha o medicamento. Aí eu perguntei quando ia chegar e ele disse 'só Deus sabe'. Fiquei sem ação... e falei 'então vou ter que tomar uma providência', aí ele disse 'Então procura o secretária .' " Injusto deixar nós pacientes na fila desabafou".


A reportagem entrou em contato pelo telefone 27 3388-4174 com a Secretária Municipal de Saúde (Semsa) de Vila Velha , Cátia Cristina Vieira Lisboa para relatar a reclamação e pedir explicitação , porque a unidade foi encontrada fechada mais até a publicação da matéria não atendeu as ligações feitas .

Nenhum comentário